ENCONTRE AQUI

ABDI 2030 terá a nova economia como pilar na formulação de projetos

Observatório da Indústria do Ceará apoiará a Agência no mapeamento de cenários para o setor produtivo nos próximos oito anos e na criação de método de avaliação de impacto dos projetos

UCM | 27/04/2022

O que será o mundo em 2030 na economia digital, na bioeconomia e no ESG (Meio Ambiente, Sustentabilidade e Governança)? Uma parceria estratégica entre a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e a Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC) vai ajudar a delinear cenários e apontar caminhos para a atuação da Agência junto ao setor produtivo e à sociedade. O contrato entre as instituições foi assinado nesta quinta-feira (28/04) em Fortaleza.

Por meio da parceria, o Observatório da Indústria da FIEC vai identificar perspectivas para o setor produtivo, a fim de melhor delinear o Projeto ABDI 2030. O estudo vai identificar fatores transversais que alavanquem a competitividade do setor produtivo brasileiro.

A expectativa é que as informações geradas possam ajudar a ABDI a expandir sua visão estratégica para além dos atuais Planejamento Estratégico 2020-2023 e Contrato de Gestão 2021-2023, instrumentos de gestão que correspondem ao atual ciclo estratégico e se encerram em 2023.

“A parceria entre FIEC, Observatório da Indústria e ABDI visa a fortalecer as instituições. A partir dos dados e expertise gerados pela FIEC, a Agência vai conseguir observar cenários prospectivos de como a indústria nacional estará, sobretudo até 2030”, explica o presidente da ABDI, Igor Calvet. "É importante que essa visão baseada em dados, utilizando inteligência e analytics, continue. Vamos deixar a ABDI praparada pra um período de gestão para além do meu", concluiu.

Para o Diretor de Inovação e Tecnologia da FIEC, José Sampaio FIlho, o acordo chancela a credibilidade das duas instituições. "É uma satisfação formalizar o nosso trabalho em conjunto com a ABDI apoiando com a parte de inteligência e geração dos dados. Vamos medir o impacto financeiro e social dos projetos desenvolvidos pela ABDI na sociedade. Ter a logomarca da Agência no Índice de Inovação lançado anualmente pela FIEC aumenta a nossa credibilidade além do que imaginamos", afirmou.

O contrato com a Federação das Indústrias do Ceará prevê, além do mapeamento de cenários, o desenvolvimento de uma metodologia de análise de impacto dos principais projetos da Agência. Segundo Rodrigo Rodrigues, gerente da Unidade de Planejamento e Gestão Digital da Agência, a expectativa é obter informações estruturadas para melhorar a tomada de decisão, a partir da entrega dos documentos de avaliação de impacto dos projetos finalísticos da ABDI.

Próximos passos

O primeiro passo será o desenvolvimento de uma metodologia, seguida de um guia de avaliação que será utilizado para aferir o impacto dos projetos da ABDI. Também prevê que todo o corpo técnico da Agência passará por capacitação de 40 horas para que a metodologia seja incorporada. O cronograma de atividades da parceria inclui, ainda, a avaliação de impacto de quatro projetos a serem indicados pela equipe da Agência.

O terceiro momento será o chamado Rotas Estratégicas 2030 - Nova Economia, que vai sinalizar trajetórias possíveis e desejadas para materializar a visão de futuro esperada para as três vertentes Economia Digital, Bioeconomia e ESG até o final dessa década.

O processo de construção deve iniciar com a elaboração de estudos de base para o entendimento do panorama socioeconômico e tecnológico que envolve as temáticas. Em seguida serão realizados painéis com especialistas. “Pretendemos envolver o ecossistema de inovação para discutir a visão que queremos imprimir no próximo ciclo estratégico 2024/2027”, explicou Rodrigo.