ENCONTRE AQUI

Boas práticas/ferramentas que podem ajudar sua empresa a enfrentar a crise

O Guia de Boas Práticas da ABDI disponibiliza um conjunto de 30 dicas para o setor produtivo

CCOM | 13/05/2020

A pandemia do coronavírus mudou a dinâmica da economia e, em meio às medidas de restrições que visam minimizar a disseminação do vírus, diversas empresas tiveram que desenvolver ações rápidas para proteger seus negócios. Pensando nisso, a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) selecionou um conjunto de ferramentas/boas práticas que podem ajudar a reduzir os impactos negativos do momento de crise nas empresas.

Para acelerar a transformação digital

A pandemia acelerou as grandes transformações que já vinham acontecendo  e antecipou muitas outras que já se anunciavam. Para aproveitar essa aceleração, a ferramenta Sistemas de Big Data e Analytics automatiza processos por meio da integração de sistemas. Esses sistemas ajudam a capturar, armazenar e analisar dados com uma velocidade em tempo real, mesmo que esses dados possuam formatos e origens distintas. Essas ferramentas podem ajudar também em ações de marketing e a desenvolver novos produtos e mercados.

Para resolver problemas

Num contexto como o atual, em que mudanças drásticas e repentinas ocorrem a cada dia, utilizar plenamente as capacidades organizacionais para solução estruturada de problemas que se multiplicam é essencial. Nesse contexto, uma ferramenta útil é o ciclo PDCA (referência às iniciais, em inglês, de cada etapa do ciclo: “P” de Plan, planejar; “D” de Do, executar; “C” de Check, monitorar; e “A” de Act, agir. O Ciclo PDCA atua de forma a observar o problema, propor a alternativa de solução, implementar esta solução e checar os efeitos. Caso não se considere satisfatórios os resultados, o Ciclo deve ser reiniciado, acumulando-se aprendizados e conhecimentos sobre o problema enfrentado.

Para reduzir desperdícios

Tempos de crise são alarmantes para o mercado, principalmente para pequenas e médias empresas, mas também são uma oportunidade de adotar novos modelos de produção, como o Sistema Just-in-Time, que é a base do Sistema Toyota de Produção e da manufatura enxuta. O sistema foi criado com o objetivo de auxiliar a Toyota a sair da crise do pós-guerra, com poucos recursos. Esta prática de produção ajuda a produzir somente o necessário e adequar a produção de acordo com a demanda, ou seja, produzir de acordo com a chegada dos pedidos e no tempo certo, sem acumular produtos em estoque. Deste modo, a empresa consegue estabelecer um padrão operacional para diminuir os prejuízos e se restabelecer economicamente.

Para reforçar a flexibilidade e a adaptabilidade

A crise traz mudanças enormes nas demandas, exigindo muitas vezes a rápida adaptação das linhas de produção. Por isso, a palavra de ordem é ser flexível e se adaptar de forma rápida às necessidades. Isso pode ser obtido por meio da utilização da ferramenta Heijunka, uma prática japonesa para nivelamento dos fluxos de produção por meio de uma programação de produção que minimize os efeitos das flutuações de produção em razão da variabilidade da demanda. Com o uso da prática de Heijunka, é possível montar uma ordem de produção com lotes formados por um mix de produtos, o que garante a manutenção de estoques mínimos proporcionais aos pedidos recebidos.

Para melhorar o rendimento de vendas

Nessa crise, não adianta fazer mais do mesmo. É hora de se adaptar. Para isso, é preciso alinhar as vendas utilizando Métodos Preditivos de Vendas, como análise de cenários, modelo delphi e análises de séries temporais. Eles ajudam a prevenir ou antecipar as vendas futuras, ajustando produção à demanda atual e evitando a formação de estoques desnecessários, que demandam matéria-prima desnecessária e geram altos custos de armazenagem, movimentação, furtos e perdas.

Para ajustar a cadeia de suprimentos

Planejamento é essencial para a retomada dos negócios. Aqui, não estamos falando apenas sobre planejamento contábil, tributário, entre outros, mas sobre planejamento de materiais. O Material Requirement Planning (MRP) é uma ferramenta que diz quais são os materiais necessários para suprir a cadeia de produção. O sistema controla inventário e o correlaciona com o que será produzido e, dessa forma, disponibiliza a matéria-prima certa, no momento e quantidade certos. Para quem trabalha com uma variedade de fornecedores, entender o que é MRP e aplicar a ferramenta pode ser primordial.

Para mais informações sobre essas ferramentas e como aplicá-las ao seu negócio, acesse o portal do Programa Brasil Mais. Lá é possível consultar, gratuitamente, um conjunto de 30 boas práticas passíveis de adoção em momentos como o que estamos passando.