ENCONTRE AQUI

Conecta Startup Brasil selecionará 100 empreendedores de todo o país

A ABDI divulgou o programa, que pretende desenvolver soluções para o setor produtivo, em um dos maiores eventos voltados a startups do Centro-Oeste, o Capital Empreendedora.

Fernando Rotta | 26/05/2019

Os participantes do Capital Empreendedora, maior evento do Centro-Oeste sobre empreendedorismo, puderam conhecer em detalhes o Conecta Startup Brasil. A coordenadora de Inovação da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Isabela Gaya, destacou que o programa selecionará startups de todo o país. “As vagas para os empreendedores serão divididas pelas regiões do país. No primeiro funil serão escolhidas 100 startups e elas estarão igualmente divididas nas cinco regiões do Brasil. Logo, são 20 vagas para cada região”.


O programa é uma iniciativa da ABDI, do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), da Softex e tem como parceiro o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). A iniciativa foi lançada no fim de 2018, durante o segundo Fórum da Inovação, em São Paulo. Atualmente, o programa está na fase de chamamento das empresas do setor produtivo. “Estamos com o edital aberto até o dia 7 de junho. A empresa do setor produtivo terá uma probabilidade de desenvolver uma ideia com esse novo empreendedor e terá a oportunidade de oxigenar, porque esse empreendedor estará trazendo novos métodos, desenvolvendo lean (manufactory). A gente está falando de mudança de cultura”, defende.

As empresas podem se inscrever e listar suas demandas. A partir do pleito do setor produtivo, serão chamados os empreendedores e startups. Para o empreendedor que deseja participar, não é necessária a existência prévia de um CNPJ. Pessoas físicas podem se inscrever e formar suas empresas ao longo da jornada inovativa.  


Os empreendedores que passarem por todas as fases do programa poderão receber até R$200 mil para a elaboração da solução. Serão quatro etapas de desenvolvimento. Na primeira, serão escolhidas 100 startups, que receberão um investimento de R$20 mil. Com o avançar do programa, a quantidade de empreendedores acelerados diminui, mas o investimento aumenta. Na segunda linha de corte, será prestada mentoria para 50 startups, que receberão mais um aporte de R$30 mil. As 25 finalistas recebem R$50 mil e quando a solução estiver bem desenvolvida, poderá haver a aplicação de R$100 mil de entidades investidoras.

Capital Empreendedora 
O presidente da ABDI, Guto Ferreira, destacou que a divulgação do programa em um ambiente como esse ajuda no desenvolvimento da própria política pública. “O Capital Empreendedora já se firmou como o maior evento de conteúdo empreendedor e de inovação do Centro-Oeste. Como a Agência tem uma agenda completamente sinérgica com o evento, nós chegamos à conclusão que seria muito interessante patrociná-lo o e fomentar que outros como ele aconteçam”. Em sua palestra no evento, Ferreira aproveitou para abordar as mudanças advindas da economia digital. “A economia digital vai movimentar US$ 100 trilhões nos próximos 10 anos em todos os segmentos produtivos”, pontuou.


O Capital Empreendedora acontece desde 2016, em Brasília. A edição de 2019 contou com palestrantes como o vice-presidente do Nubank, Dennis Wang, e o investidor do Shark Tank de Portugal, Tim Vieira.