ENCONTRE AQUI

Empresas aumentam uso de Tecnologia da Informação e Comunicação

Sondagem da Inovação também mostra que a maior parte das indústrias acredita que perfil do trabalhador mudará com uso da tecnologia

Fernanda Melazo | 17/12/2019

Mais de 60% das empresas aumentaram o uso de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) nos últimos cinco anos, de acordo com os resultados da última Sondagem de Inovação da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). Esse percentual abrange empresas ouvidas de todos os sistemas produtivos. No caso das empresas classificadas como intensivas em trabalho, esse número aumenta para 70,2%. A pesquisa trimestral da ABDI, encomendada à Fundação Getúlio Vargas (FGV), abrange as indústrias com pelo menos 250 funcionários. Melhorar a qualidade dos produtos e serviços existentes, melhorar a organização do trabalho ou os procedimentos de trabalho são os principais motivos que levaram as empresas a investir em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC).

Os resultados são relativos ao terceiro trimestre de 2019. A pesquisa também revelou que 77,3% dos empresérios acreditam ser possível o surgimento, nos próximos cinco anos, de um novo perfil nas habilidades do trabalhador, devido ao uso de TIC. “Esse resultado mostra a mudança no perfil das empresas diante do cenário da transformação digital. Apenas 6,6% das empresas responderam que não acreditam em mudanças no perfil do trabalhador num período de cinco anos”, afirmou o coordenador de Planejamento e Inteligência da ABDI, Rogério Araújo.

A pesquisa da ABDI também perguntou às indústrias quais habilidades são importantes para seus funcionários. Três fatores foram citados por mais de 70% das 318 empresas que responderam esse quesito: comunicar-se por e-mail; criar uma planilha; e fazer a integração de soluções para criação de ferramentas voltadas para o aumento da produtividade.

As habilidades uso de robôs programáveis e programar robôs foram citadas por menos de 30% das empresas. Comunicar-se por e-mail foi a habilidade mais citada tanto por empresas de alta intensidade quanto de baixa intensidade, 75% e 74,9%, respectivamente.

Investimentos em inovação

A sondagem registrou, nos dois últimos trimestres, tendência crescente de aumento de gastos com P&D das empresas. Entre o 2º e o 3º trimestre de 2019, a parcela das empresas que gastaram mais com inovação passou de 21,9% para 29,7%, maior valor desde o 1º trimestre de 2012 (30%). O crescimento dos gastos ocorre no segmento ligado ao agronegócio e na transformação da estrutura produtiva.

No 3º trimestre de 2019, a melhora das empresas na inovação deveu-se à aquisição de produtos novos ainda não existentes no mercado e também em processos novos. A proporção de empresas que afirmaram ter inovado em produtos novos ainda não existentes no mercado passou de 13,3% no 2º trimestre para 15,7% no 3º trimestre de 2019. Em relação ao 1º trimestre, o salto foi de 10,9% para 15,7%.

A proporção de empresas inovadoras em produtos novos para a empresa, mas já existentes no mercado, registrou o maior valor desde o segundo trimestre do ano passado (35%). Neste trimestre, 34,4% das empresas afirmaram inovar, o que representa alta de 0,6 p.p. em relação ao trimestre anterior.

O avanço ocorreu também na proporção de empresas inovadoras em processos novos, mas já existentes no mercado, que passou de 24,6% para 26,2% entre o 2º e 3º trimestre de 2019.

» Confira aqui a íntegra da Sondagem