ENCONTRE AQUI

Indicação Geográfica do café vai impulsionar economia no Norte do país

ABDI e Caferon protocolam no INPI pedido de registro. Processo de análise leva até 12 meses

Paula Fettermann | 24/03/2020

A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e os Cafeicultores Associados da Região Matas de Rondônia- Caferon trabalham juntas para garantir a qualidade e a propriedade intelectual da produção de café no norte do Brasil. Nesta segunda-feira (23), foi lançada, no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI), a documentação que irá subsidiar a análise do reconhecimento da Indicação Geográfica (IG) Matas de Rondônia para Robustas Amazônicos. A área é responsável por cerca de 80% do café produzido em Rondônia e conta com mais de 10 mil produtores.

De acordo com o especialista em Desenvolvimento Produtivo da ABDI Antônio Tafuri, o impacto do reconhecimento é positivo já que “organiza formalmente uma cadeia de valor desde o produtor até a agroindústria que beneficia e comercializa o produto final”. Ele explica que a Indicação Geográfica propicia muitos benefícios à região por trazer notoriedade a um produto específico.

O presidente da Caferon, Juan Travain, agradeceu a todos os envolvidos no processo e aos associados. "Estamos no caminho certo e em breve teremos a IG e a comercialização do nosso café com mais valor agregado", concluiu.

A aproximação da indústria com a cadeia produtiva e sua organização traz a percepção da qualidade e valor do café. Isso pode gerar novos produtos que estarão disponíveis aos consumidores em um curto espaço de tempo. Além disso, o impacto é positivo também para as condições socioeconômicas dos produtores, cuja maioria é de pequenos agricultores familiares. Os produtos diferenciados têm melhor penetração no mercado e propiciam melhor remuneração.

Durante o processo, a ABDI foi responsável pelo diagnóstico, articulação com os parceiros institucionais (públicos e privados, internacionais inclusive, como a Plataforma Global do Café), pela aprovação de recursos, contratação e execução do projeto.

Zona da Mata

A área da Indicação Geográfica abarca 15 municípios de uma região conhecida como Zona da Mata. São eles: Alta Floresta d’Oeste, Cacoal, São Miguel do Guaporé, Nova Brasilândia d’Oeste, Ministro Andreazza, Alto Alegre dos Parecis, Novo Horizonte do Oeste, Seringueiras, Alvorada d’Oeste, Rolim de Moura, Espigão d’Oeste, Santa Luzia d’Oeste, Primavera de Rondônia, São Felipe d’Oeste e Castanheiras.

Indicação Geográfica

A Indicação Geográfica (IG) é um método utilizado em diversos países do mundo para proteger a propriedade intelectual de produtos ou serviços do uso de terceiros. Como resultado, comunica-se ao mundo que uma certa região se especializou e tem capacidade de produzir um artigo diferenciado e de excelência.