ENCONTRE AQUI

Jornada Empreendedora oferece capacitação personalizada

Uma parceria da ABDI e do Ministério da Economia, a plataforma apresenta uma trilha de aprendizagem personalizada a quem já é microempreendedor individual e a quem busca esse caminho

UCM | 05/05/2022

A plataforma Jornada Empreendedora, uma parceria da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e do Ministério da Economia, tem como foco os atuais 13 milhões de microempreendedores individuais e também aqueles empreendedores que ainda não têm o registro mas desejam se formalizar. Para realizar seu autodiagnostico e acessar a trilha exclusiva com sugestões customizadas de capacitação:

ACESSE A PLATAFORMA 
O Jornada Empreendedora vai oferecer capacitação profissional, com uma trilha de aprendizagem personalizada. “Nosso objetivo é apoiar todos os microempreendedores que precisam de capacitação e aqueles que querem se formalizar. Queremos que o Jornada Empreendedora seja ponto de apoio para o desenvolvimento das microempresas brasileiras”, disse Adryelle Pedrosa, gerente da Unidade de Transformação Digital da ABDI.

Vinculado ao Portal do Empreendedor, o Jornada Empreendedora permite aos interessados, por meio de uma ferramenta de autodiagnostico, identificar os gaps de competência e receber uma trilha de conhecimento, com cursos desenhados especificamente para atender a essas necessidades.

“Os empreendedores e aspirantes a microempreendedores podem desenvolver habilidades técnicas, comportamentais, de gestão ou digitais, algumas delas, ou todas. Isso vai depender da avaliação. Os temas dessa trilha estarão automaticamente conectados com os cursos ofertados no Capacita, plataforma de cursos do governo federal. Construímos uma taxonomia que orienta tanto as trilhas quanto os cursos oferecidos”, explicou Adryelle.

Ao navegar pela plataforma do Jornada Empreendedora, o profissional também pode conhecer cada ocupação cadastrada no portal. São 467, divididas em 11 áreas de atuação: serviços de escritório; atividades de ensino; fabricação; serviços pessoais e domésticos; logística e transporte; atividades ligadas ao turismo e eventos; instalação e manutenção; comércio; indústria criativa; indústria e construção civil; agricultura, pecuária e indústrias extrativistas.

As ocupações mostram quais são os conhecimentos, habilidades, atitudes e ferramentas que o trabalhador precisa ter para se desenvolver naquela atividade, o nível de educação formal exigido (pouca educação formal, ensino básico, ensino médio ou ensino superior) e quantos MEI estão cadastrados no Brasil naquela ocupação, de acordo com dados do SIMEI (sistema no qual o MEI realiza o pagamento dos tributos).

Relatório divulgado pelo SEBRAE (2019) reforça a necessidade de capacitação dos microempreendedores individuais. De acordo com esse estudo de perfil dos MEIs, 54% deles sentem necessidade de capacitação em controle financeiro; 50% em orientação para crédito; 48% em propaganda e marketing; e 46% em qualidade de produto ou serviço. Apenas 17% dos MEIs responderam não terem necessidade de capacitação.