ENCONTRE AQUI

Municípios da Grande Florianópolis testarão população vulnerável para Covid-19

Serão realizados 7 mil testes por meio de ação da ABDI, startup BiomeHub e do Movimento Floripa Sustentável

Paula Fettermann | 22/10/2020

Uma ação da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), da startup BiomeHub, do Movimento Floripa Sustentável e prefeituras da Grande Florianópolis viabilizou a realização de sete mil testes para detectar possíveis casos de Covid-19 na população de baixa renda da região. As ações começaram no município de São José nesta terça-feira (20/10). A definição da data de início e quem será testado em cada cidade será feita pela prefeitura e secretaria de saúde local. Os testes são fornecidos pela empresa de biotecnologia BiomeHub e os exames realizados são do tipo RT-PCR, os mais precisos para se detectar a presença do vírus ativo num indivíduo, por meio da metodologia de pooling (teste em grupo).

De acordo com o CEO da BiomeHub, Luiz Felipe Valter de Oliveira, o foco da ação é testar individuos assintomáticos. "O objetivo é que a gente consiga ajudar a entender como está a prevalência do virus nas comunidades carentes e também ajudar a prefeitura a identificar os assintomáticos, isolar e fazer o minitoramento do quadro de saúde desses indivíduos", explicou.

Lanna Dioum, Analista de Produtividade e Inovação da ABDI, disse que um dos elementos chave para resposta rápida a uma segunda onda da pandemia é a capacidade de diagnosticar pessoas infectadas de forma ágil e em escala. “A ABDI reconhece a  tecnologia inovadora da BiomeHub de testagem em pool que permite isolar pessoas infectadas, principalmente assintomáticas, antes da disseminação do vírus”, afirmou.

Serão 3 mil testes em São José, 1 mil em Palhoça, 1 mil em Biguaçu e 2 mil em Florianópolis. Na Capital, a prefeitura já fez a testagem de centenas de servidores e funcionários do comércio, a partir de uma doação do Movimento Floripa Sustentável, por meio do Fundo Empresarial para Reação Articulada de Santa Catarina Contra o Coronavírus (Fera-SC), e da Vale S/A.

Como são feitos os testes

Os testes que serão aplicados pela a BiomeHub são do tipo "pool" - o método se baseia em testar ao mesmo tempo as amostras de até 16 pessoas. As ações ocorrerão em um ônibus itinerante. Nesse modelo de testagem em grupo, são coletadas duas amostras nasofaringe (nariz) de cada indivíduo assintomático. Um dos materiais coletados fica reservado em um tubo individual, enquanto a outra amostra é testada no modo coletivo no método RT-PCR em tempo real. Os resultados saem em até 24 horas.

Caso alguém do grupo esteja contaminado, são realizados os testes individuais e os mesmos ficam isolados até a descoberta de quem do grupo está infectado pela doença. Em caso de o “grupo testar negativo”, todos são liberados com um único teste.