ENCONTRE AQUI

Profissões do futuro são tema de parceria entre ABDI e MEC

Cooperação vai permitir atuação conjunta visando a qualificação profissional de acordo com demanda do setor produtivo nacional

Paula Fettermann | 03/12/2020

O mundo do trabalho passa por uma profunda transformação em função da dinâmica da economia global. Pensando nisso, a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e o Ministério da Educação (MEC) formalizaram uma parceria para favorecer a formulação de políticas públicas e a criação de programas e projetos voltados para a qualificação profissional de jovens e adultos brasileiros.

A intenção é atender necessidades do mercado trabalho e demandas da economia digital. O Acordo de Cooperação Técnica foi assinado nesta quinta-feira (3/12) pelo presidente da ABDI, Igor Calvet, e pelo secretário de Educação Profissional e Tecnológica, Wandemberg Venceslau. O documento prevê as seguintes entregas:  

- Mobilização e diálogo com o setor produtivo para alinhamento sobre cursos ofertados e as necessidades do mercado de trabalho; 
-Fornecimento de informações técnicas e estudos relativos às novas tendências e demandas do mercado de trabalho como subsídios para a elaboração e atualização do Catálogo Nacional de Cursos Técnicos (CNCT), Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia (CNCST) e guia de cursos de qualificação profissional; 
-Levantamento de informações junto ao setor produtivo sobre demandas profissionais atuais e futuras; 
-Realização de estudo com informações do sistema de formação educacional e do mercado de trabalho, construído a partir de diversas bases de dados, sobre a demanda profissional atual, projeções e competências emergentes. 

Para o secretário de Educação Profissional e Tecnológica, Wandemberg Venceslau, a integração entre a educação profissional e tecnológica e o setor produtivo é essencial para assegurar que a formação dos estudantes seja compatível com as dinâmicas de transformação que ocorrem na economia. “Por isso, a parceria com a ABDI vai contribuir muito para suprir demandas por informações e indicadores relevantes na formulação de políticas educacionais que resultem em profissionais preparados para o futuro”, completou.

Igor Calvet, presidente da ABDI, explica que é fundamental entender a demanda do setor produtivo para a formulação de políticas públicas para a qualificação profissional de jovens e adultos. “A nossa intenção é contribuir de forma efetiva para a formação qualificada de profissionais, que estejam aptos a ser absorvidos pelo mercado de trabalho”, reforça. Calvet espera ainda que a retomada da economia deva gerar novos postos de trabalho, que exigirão habilidades específicas e, por isso, os trabalhadores precisam ser qualificados desde já. 

ABDI e o Futuro do Trabalho

A ABDI tem participado ativamente de discussões sobre o futuro do trabalho. Além disso, em parceria com governo federal e diversos atores do setor produtivo, a Agência tem realizado um conjunto de ações que visam contribuir com a sistematização de informações e o mapeamento da oferta e da demanda de profissionais qualificados, bem como com a atualização da oferta de capacitação e desenvolvimento de competências de estudantes, trabalhadores e empreendedores, em alinhamento com as necessidades do mercado de trabalho e com as transformações relacionadas à economia digital.

Saiba mais

Indústria poderá propor alterações em norma sobre cursos técnicos
Jovens estão desconectados da realidade da nova economia
ABDI mobiliza Governo e Indústria para qualificar formação profissional
Criatividade e empatia são as principais habilidades das profissões do futuro
Consulta Pública para atualização do CNCT teve mais de mil contribuições
MEC aguarda aprovação do CNCT pelo Conselho Nacional de Educação
Soluções digitais na área de comércio internacional, trabalho e empreendedorismo