ENCONTRE AQUI

Prorrogado prazo para concurso de simulação de linha de produção

Iniciativa inédita da ABDI premiará dez propostas para as chamadas Fábrica Virtuais. Inscrições são até o dia 11 de novembro

Gabriel Fialho | 13/09/2019

Os interessados em inscrever seus projetos de Fábricas Virtuais terão mais tempo para preencher os formulários e participar do certame da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). Agora, o prazo será até o dia 11 de novembro.

Serão premiadas dez iniciativas inovadoras para resolver problemas de empresas do setor produtivo e de serviços. O objetivo é selecionar propostas de simulações de linhas de produção em plataformas digitais. As propostas podem ser apresentadas por Pessoas Físicas e por Pessoas Jurídicas.

CONFIRA O EDITAL COMPLETO 

FORMULÁRIO PESSOA FÍSICA

FORMULÁRIO PESSOA JURÍDICA

O valor total da premiação é de R$ 260 mil, sendo R$ 50 mil para o primeiro colocado, R$ 40 mil para o segundo, R$ 30 mil para o terceiro e R$ 20 mil para os demais. Com os métodos de simulação de linhas de produção, por meio de softwares específicos, é possível acompanhar o comportamento de um sistema produtivo e das diversas variáveis e situações operacionais.

Os programas de simulação chegam a ter 95% de aderência à realidade, ou seja, são uma imitação quase perfeita das plantas industriais. Desta forma, os testes em ambiente virtual antecipam problemas das linhas de produção. Além disso, é possível simular projetos que ainda não saíram do papel, verificando sua eficiência, eficácia e operacionalidade antes de serem implantados.

As simulações incluem a representação gráfica dos trabalhadores, insumos e equipamentos em movimento, ilustrando os fluxos dentro da fábrica. As ferramentas geram estimativas de desempenho em termos de tempo de processamento, de utilização de recursos, dimensionamento de estoques intermediários e de operação em cada estação de trabalho.

O projeto permitirá a aproximação da ABDI aos problemas reais do setor. O objetivo ao premiar as propostas é o de estimular a difusão destas práticas nas empresas do país, para que os princípios da indústria 4.0 sejam cada vez mais aplicados.