ABDI abre consulta pública para terceiro edital do Agro 4.0

Novo certame irá selecionar projetos focados em gestão estratégica de dados da produção na agricultura e na pecuária

A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), em parceria com o Ministério da Agricultura e Pecuária, acaba de abrir Consulta Pública para o terceiro edital do Agro 4.0, de adoção e difusão de tecnologias no agronegócio. Depois dos resultados promissores dos editais anteriores, a Agência pretende, no novo certame, focar em gestão estratégica de dados de produção. O anúncio foi feito na tarde desta quitna-feira (25), durante reunião da Câmara Temática de Inovação Agrodigital.

De acordo com a analista de Produtividade e Inovação da ABDI, Isabela Gaya, que coordena o programa, desta vez os participantes serão associações/cooperativas, fornecedores de tecnologia e produtores. A proposta é coletar informações desses produtores – tanto na agricultura quanto na pecuária – para montar um dashboard a ser usado pelas cooperativas. “A decisão orientada por dados tem um papel fundamental na gestão estratégica das empresas e hoje é um dos grandes desafios da transformação digital”, disse.

A Consulta Pública tem o objetivo de coletar informações e sugestões de critérios para seleção dos projetos pilotos. Depois dessa fase, as contribuições serão usadas na construção do Edital, que deve ser lançado no início do segundo semestre. As sugestões deverão ser encaminhadas por meio de formulário,  até o dia 15 de junho. A identificação pessoal é opcional e os dados não serão divulgados individualmente.

Resultados

No segundo edital, que está em fase final de execução, os resultados mostram que a adoção de tecnologias no campo realmente faz a diferença. Um dos projetos selecionados usa Inteligência Artificial e Internet das Coisas para realizar o monitoramebto digital dos solos e lavouras com drones. Até agora, houve redução de 24% no uso de fertilizantes e de defensivos na plantação da soja. 

Outro projeto monitora as perdas na colheita da soja, por meio de Visão Computacional. Sistemas são instalados atrás da plataforma de corte das colhedoras para obter imagens do solo logo depois da passagem da máquina. Com essas imagens, algoritmos realizam a contagem dos grãos encontrados, e, conseguem contabilizar as perdas em quilos por hectare. Os resultaods parciais demonstram que o projeto está cumprindo seu objetivo: foi registrada redução de 12% nas perdas.

Saiba mais sobre a Consulta Pública

Multimídia

MetaIndústria