ABDI participa de evento da indústria da construção

ABDI participa de evento da indústria da construção

Presidente da Agência, Igor Calvet, falou sobre a experiência da instituição como disseminadora da tecnologia BIM

Nesta quarta-feira (12), o presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Igor Calvet, participou do 96º Encontro Nacional da Indústria da Construção (ENIC), evento promovido pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). Calvet falou sobre BIM e a sua interface com a industrialização da construção no painel “Caminhos para industrialização: produtividade em Habitação de Interesse Social (HIS)”.

Ubiraci Espinelli Lemes de Souza, professor de engenharia da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP); e Jefferson Gomes, diretor de Inovação e Tecnologia do Senai Nacional, também integraram o painel, que foi mediado por Dionyzio Klavdianos, presidente da Comissão de Materiais, Tecnologia, Qualidade e Produtividade (COMAT) da CBIC.

Desde 2017, a ABDI tem participado do processo de difusão do BIM para a indústria da construção brasileira. A Agência entende que o BIM é uma importante ferramenta para a digitalização do segmento, que apresenta perfil tradicional e conservador em relação às novas tecnologias.

O BIM é considerado uma solução completa, capaz de quebrar paradigmas ao criar e manter informações multidimensionais ao longo do ciclo de vida de um empreendimento. Possibilita compartilhar, colaborar, simular e otimizar dados e conhecimento entre construtoras, incorporadoras e escritórios de arquitetura e de projetos.

Para a ABDI, o uso do BIM é fundamental por permitir o detalhamento de todas as fases da construção: identifica a necessidade específica de cada material, define os processos de cada fase, da montagem à execução da obra. “O BIM permite o planejamento adequado, o sequenciamento e a interface com as demais etapas dos projetos”, explica Calvet.

Estudos sobre BIM
Pesquisa realizada pela ABDI em parceria com a FGV, em 2021, mediu o nível de maturidade digital de micro e pequenas empresas (MPEs) brasileiras. Das participantes do setor da construção civil, o estudo aponta que estão abaixo (35,9) da média de maturidade digital geral das MPEs pesquisadas (40,77). A escala do Mapa da Digitalização das MPEs varia de 0 a 100 pontos, sendo 0 nada digital e 100 totalmente digital.

Em 2022, a ABDI patrocinou uma pesquisa realizada pelo BIM FÓRUM BRASIL para identificar o cenário da digitalização das engenharias e da arquitetura brasileiras. Cerca de 10 mil profissionais responderam aos questionamentos. O resultado apontou uma similaridade entre as duas categorias profissionais, com grande predominância do uso de tecnologias 2.0, consideradas de pouca digitalização. Enquanto isso, uma parcela moderada dos profissionais entrevistados disse conhecer tecnologias 3.0 mais modernas e que engloba o BIM. E, apenas uma parcela pequena dos respondentes têm conhecimento consistente sobre tecnologias 4.0, como realidade aumentada (RA), realidade virtual (RV) e internet das coisas (IOT).

A Unidade de Projetos Especiais da ABDI tem a missão de disseminar o uso de BIM junto aos profissionais da Arquitetura, Engenharia e Construção, pois nessa metodologia é possível encontrar estratégias, soluções, processos digitais, que proporcionam a redução de custos e o aumento da produtividade.

Nesse sentido, além da participação em pesquisas, a ABDI tem projetos específicos para o setor e viabiliza diversas capacitações, a fim de contribuir para elevar a qualidade, produtividade e eficiência da construção civil brasileira. Entre os anos de 2021 e 2023, as iniciativas capacitaram mais de 7 mil profissionais. Gerenciada pela ABDI, a Plataforma BIMBR já possui 27 mil cadastros de profissionais e empresas e oferece gratuitamente o acesso a 2 mil objetos BIM, dos quais já foram realizados 314 mil downloads.

Em 2020, a ABDI, Sienge e Grant Thorton realizaram um mapeamento de maturidade BIM com 643 empresas brasileiras. Dessas, 247 (38,4%) indicaram usar BIM, a maioria estão localizadas nas regiões Sul e Sudeste do país. O levantamento também mostrou que, entre as empresas que ainda não haviam adotado a metodologia, 47% pretendiam adotar o BIM até 2022.

Plataforma BIMBR
Prevista na Estratégia BIMBR, é um portal do governo federal, administrado pela ABDI, que além de hospedar uma Biblioteca BIM, tem por objetivo ser um repositório de informações. Para 2023, está previsto o lançamento de uma nova versão da Plataforma BIMBR, com atualizações de layout e novas funcionalidades. As mudanças seguem as diretrizes apontadas a partir de uma consulta pública feita com os usuários. E, para atualizar o Regulamento Técnico da Biblioteca Nacional BIM, a ABDI contratou a Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT.

Democratizando BIM
O curso “Democratizando BIM”, lançado em outubro de 2020, atraiu um público diversificado de mais de 7 mil profissionais. Os alunos têm entre 30 e 60 anos, majoritariamente, estão presentes nas cinco regiões do país (com destaque para o Sudeste) e atuam nas áreas de arquitetura e engenharia civil. Um ponto de destaque é a alta participação de mulheres. O curso está disponível na Escola Virtual de Governo, da Escola Nacional de Administração Pública (EV.G/ENAP).

Multimídia

MetaIndústria

Mais Vistas