Comflow ganha hackathon da BRF

Comflow ganha hackathon da BRF

Cinco jovens empreendedores sugerem solução para gestão do conhecimento e comunicação interna

Acabou o mistério. Depois de 36 horas ininterruptas de trabalho durante a Game XP, finalmente o público pode conhecer o time vencedor do Hackathon da Brasil Foods (BRF). Após um pitch de cinco minutos e a sabatina da banca de jurados, o grupo Comflow conseguiu encantar a banca de avaliadores e levou pra casa o direito de participar do programa de inovação da BRF e a garantia de aquisição da solução de game proposta por eles no palco da Inova Arena.

O desafio da BRF era apresentar uma solução de gamificação para o treinamento dos profissionais envolvidos nas operações de tratamento de efluentes (resíduos líquidos descartados dos processos industriais). O time da Comflow é formado por três desenvolvedores (Felipe Whitaker, João Gabriel e Lucas Soares), a UX designer Lívia Badiani (dedicada à experiência do usuário), e Luiz Monclar, especialista em comunicação e conteúdo.

Monclar, responsável pelo pitch, explicou que o foco do time era montar um sistema para melhorar a gestão do conhecimento e a comunicação interna. "Nosso sistema tem duas interfaces: uma, com a visão do funcionário e outra, com a visão do gestor. Nele, é possível ao funcionário alimentar suas atividades do dia, fazer consultas a uma base de dados, gerar um PDF e ainda receber recompensas de acordo com sua performance", pontuou.

Já, na interface de gestão, Monclar esclareceu que o gestor poderá acompanhar o andamento de todas as tarefas da equipe, saber quem está envolvido com cada etapa, alimentar o sistema com as performances de todo o time e ainda acessar uma base de dados para o treinamento das equipes futuras de acordo com as necessidades. “Percebemos que o maior problema era a falta de gestão do conhecimento. Como o sistema de operação da BRF é relativamente complexo, eles não conseguiam treinar funcionários, armazenar esse conhecimento gerado a partir dos treinamentos e não havia comunicação entre as equipes, o que acabava causando retrabalho", apontou Monclar.

"De olho nessa dor e com foco na gamificação, pensamos em um sistema para contribuir com o pipeline de ações, melhorando o acompanhamento do check list das tarefas diárias dos funcionários e facilitando a avaliação do tracking de performance, de onde está o melhor fluxograma, qual a melhor área para investir em treinamentos, em processos e, consequentemente, aumentar a produtividade", acrescentou o developer João Gabriel. Ele conta que o sistema foi montado em quatro pilares: base de consulta, tracking de performance, check list de tarefas e base de dados unificada para toda a rede da BRF.

Para o gestor de Inovação da companhia, Ciro Calixto, a experiência de realizar o hackathon foi bastante produtiva. "Aceitamos o desafio da ABDI de realizar essa maratona durante a Game XP, cientes de que a gamificação é uma tendência da indústria 4.0 e uma estratégia eficaz para ajudar nos nossos treinamentos e na melhoria da gestão do conhecimento. Estamos muito satisfeitos com a solução do time da Comflow e agora é partir para o trabalho de campo, para que eles conheçam as nossas unidades e possam dar início à construção do primeiro piloto", adiantou Calixto.

Time da Evobrain garantiu a prata com uma solução de realidade virtual
Evobrain garantiu o segundo lugar com uma solução de realidade virtual

Outros quatro times de jovens empreendedores participaram do Hackathon da BRF durante a Game XP. Em segundo lugar, ficou o time da Evobrain, que sugeriu um sistema de realidade virtual com gamificação e rankeamento das equipes que trabalham nas estações de tratamento.

Já, o time Renovação garantiu o terceiro lugar, também com uma solução de realidade virtual para transmissão do conhecimento e verificação da capacitação dos funcionários. Participaram, ainda, da maratona o grupo Rio-Brasília, que apresentou um Quizz para avaliação dos funcionários e o time ComCiência, que sugeriu uma solução de monitoramento por câmeras para supervisão das áreas de tratamento de efluentes.

Grupo Renovação sugeriu solução de realidade virtual e garantiu o 3º lugar
Grupo Renovação também apresentou solução em VR para capacitação das equipes da BRF 

A analista técnica da Gerência de Inovação da ABDI, Izis Lira, falou da qualidade dos trabalhos. “Ficamos impressionados com o nível de comprometimento e profissionalismo dos grupos. O objetivo foi plenamente alcançado, com destaque, de um lado, para a construção de uma solução que atendeu a demanda de uma gigante como a BRF e, de outro, a descoberta de um time de empreendedores jovens e talentosos que têm um enorme potencial de contribuir com a inovação do país", ressaltou Izis, ao mencionar o papel da ABDI, como "Agência de articulação e inteligência para o setor produtivo".

Ao lado de Izis, fizeram parte da banca Camila Leibel, especialista global de marketing e inovação da BRF; Rafael Bastos, representante da BirminD; Francisco Chaves, CEO da Arkave VR; e Léo Lima, coordenador do Laboratório de Objetos Urbanos Conectados (LOUCo), e responsável pela impressão em 3D dos troféus para os três vencedores do Hackathon. O robozão da ABDI, de 2,8 metros e muito gingado, fez a entrega dos troféus aos times ganhadores, ao lado dos jurados.

Innovation Park da ABDI

Durante os quatro dias da Game XP, entre 6 e 9 de setembro, no Parque Olímpico, no Rio de Janeiro, a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) ofereceu 13 grandes atrações para o público de mais de 3 mil visitantes que esteve na Inova Arena.

Com 800 metros quadrados, o Innovation Park Powered by ABDI ofereceu ao público a experimentação de diversas tecnologias aplicadas à indústria 4.0, tais como Inteligência Artificial, Realidade Virtual, Robótica, Segurança Cibernética, além de soluções em mobilidade urbana, comunicação e cidades inteligentes. O Innovation Park também foi marcado pelo Hackathon da BRF, uma gigante do setor alimentício e presente em mais de 150 países, com 30 unidades no Brasil e 20 no exterior.

Multimídia

MetaIndústria

Mais Vistas