Sustentalks: transformação empresarial e sustentabilidade em pauta

Sustentalks: transformação empresarial e sustentabilidade em pauta

Evento abordou finanças, sustentabilidade, governança e cultura, contornando os desafios de transformação que as empresas vivenciam

A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), em parceria com a Semeare Investimentos, Sistema B Brasil e RM Consulting, realizou a primeira edição do Sustentalks, nesta quarta-feira (8/11). O evento aconteceu de forma híbrida e reuniu os maiores especialistas em negócios e implementação de transformação empresarial do país. 

Durante o encontro, os especialistas debateram sobre as demandas sustentáveis do mercado e a importância das inciativas de impacto para empresas em crescimento. O gerente da Unidade de Fomento às Estratégias ASG da ABDI, Rogério Araújo, destacou a importância de promover o desenvolvimento sustentável focando em práticas ambientais, sociais e de governança durante o processo de construção de uma nova política industrial, trabalho desenvolvido pelo Governo Federal por meio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial (CNDI) desde abril deste ano, com apoio da ABDI.

“O mundo está vivenciando uma fase de transição de desenvolvimento sustentável. De pensar o desenvolvimento sustentável não como uma obrigação, mas como uma estratégia que tem que fazer parte das empresas e do governo. Para estimular o desenvolvimento econômico, precisamos pensar em uma nova indústria que esteja conectada ao desenvolvimento sustentável. Quando se fala em ASG não podemos pensar em palavras separadas, mas em uma estratégia na qual o ambiente, o social e a governança trabalham de forma conjunta”, explicou.

A ABDI criou a Diretoria de Desenvolvimento Sustentável e Industrialização para participar e contribuir com o processo de construção de uma nova indústria brasileira. “Estamos intensificando as nossas inciativas junto ao Governo Federal para estimular o desenvolvimento sustentável, por isso criamos uma diretoria para isso. Nos últimos anos, vivemos um ciclo econômico de baixo crescimento tanto na indústria como no setor de serviços. Agora, temos desafios que estão relacionados, por exemplo, à emergência climática”, concluiu.

A estrategista de marketing e negócios da Semeare Investimentos de Impacto, Perla Amabile, abordou a sustentabilidade como estratégia de negócios numa nova economia e os principais desafios enfrentados pelas empresas nesse processo de mudança para um modelo mais sustentável. “Quando falamos de evolução falamos de cultura, de cenário mundial e não simplesmente de se adaptar ao que está acontecendo, mas de antecipar as possíveis necessidades de transformação para que os negócios continuem sendo relevantes em uma nova cultura”, explicou.

Agenda 2030

O plano de ação da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), que pauta projetos e programas desenvolvidos pela ABDI, foi destaque durante o evento. A presidente do Conselho de Administração da ONU no Brasil, Rachel Maia, falou do papel da alta gestão e dos negócios para a agenda da ONU.

“Esses objetivos de desenvolvimento sustentável, teoricamente, deveriam ser aplicados no universo coorporativo para que essa agenda não deixe ninguém para trás. Temos muitos pontos a serem revistos, não precisamos colocar tudo no mesmo espaço. Com relação aos efeitos climáticos, por exemplo, não significa que a empresa tem que ser completamente Net Zero, mas que possa comprar créditos, possa evoluir, fazer contas. Temos um movimento bem forte para fazer isso acontecer”, afirmou.

Rachel também destacou a importância das empresas se adequarem à Resolução CVM 59, que exige que, a partir de 2025, as empresas informem obrigatoriamente dados relacionados à governança corporativa, direitos humanos, meio ambiente, práticas voltadas à gestão de riscos, dentre outros. “Se você não admitir, contratar pessoas plurais, sabe o que vai acontecer? Em janeiro de 2025 você vai ser multado, vai estar fora da CVM, e vai ter um grande problema”, exemplificou.

Sustentabilidade

Para iniciar a jornada do mercado de sustentabilidade, as empresas enfrentam desafios ao longo do processo. Foi o que mostrou o gerente de Certificações e Operações do Sistema B, Felipe Dzik. Ele destacou alguns dos principais desafios enfrentados no mundo corporativo como implementar os conceitos em todas as áreas do negócio, engajamento interno e da liderança, priorizar ações, gestão e indicadores.

“É preciso pensar em como fazer com que a sustentabilidade não seja um projeto específico, feito apenas uma vez, mas que faça parte de toda a estratégia da empresa, que seja uma jornada perene ao longo da operação da empresa”, afirmou.

Multimídia

MetaIndústria

Mais Vistas