Evento marca início da construção de sistema digital das IGs cafeeiras

Evento marca início da construção de sistema digital das IGs cafeeiras

Parceria entre ABDI, Sebrae e Instituto CNA irá desenvolver a plataforma, que será implantada em, pelo menos, 50% das Indicações Geográficas

Foi dada a largada para o início do desenvolvimento de uma plataforma de gestão, controle e rastreabilidade da produção de cafés reconhecidos como Indicações Geográficas (IGs) no país. Reunido em Patrocínio (MG), região que abraça os Cafés do Cerrado Mineiro, o grupo de trabalho constituído por representantes de 12 IGs, consolidou as propostas que alimentarão a chamada pública, que será realizada ainda este mês, e visa selecionar a startup que irá desenvolver a solução.

O sistema digital, terceira fase do projeto, é fruto de um acordo firmado entre a ABDI, o Sebrae e o Instituto CNA, e deverá ser implantado em, pelo menos, 50% delas: seis entidades gestoras, 50 produtores e 20 torrefações. As outras etapas, já finalizadas, foram um estudo comparativo (benchmarking) para identificar sistemas digitais de gestão utilizados por Indicações Geográficas no Brasil e no exterior, e a análise da maturidade digital do setor, que ficou com índice médio de 28 pontos e indica maturidade emergente.

A partir de agora, serão 18 meses de trabalho junto a associações, cooperativas, produtores, poder público e demais parceiros para desenvolver a ferramenta, que irá contar com quatro módulos: controle, rastreabilidade, inteligência e comunicação. O Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC) e o Ministério da Agricultura e Pecuária são apoiadores do projeto.

Para o analista de Produtividade e Inovação da ABDI, Antonio Tafuri, participante do Grupo de Trabalho, ação é inédita no setor cafeeiro de origem no Brasil. “Conseguimos reunir 12 das 13 regiões em prol de um aprimoramento da cadeia e baseado em ações de transformação digital. O desafio é gigante, mas já demos o primeiro passo”, afirmou. 

De acordo com o coordenador geral de Propriedade Intelectual do MDIC, Miguel Carvalho, o projeto está alinhado com a estratégia nacional de Propriedade Intelectual, como forma de agregar valor à produção local e regional das Indicações Geográficas brasileiras.

Indicação Geográfica
A Indicação Geográfica (IG) é um método utilizado em diversos países do mundo para proteger a propriedade intelectual de produtos ou serviços do uso de terceiros. Como resultado, comunica-se ao mundo que uma certa região se especializou e tem capacidade de produzir um artigo diferenciado e de excelência.

Exemplos de perguntas que a plataforma pretende responder:

Quem, quantos são e onde estão os produtores, compradores e exportadores de cafés especiais com origem controlada no Brasil?

  • Qual a produção anual de cafés especiais com origem controlada por região?
  • Quem são os Qgraders atuantes nas IGs brasileiras?
  • Quanto o Brasil exporta de cafés especiais com origem controlada?

 

Multimídia

MetaIndústria

Mais Vistas