Fórum DF 2030 debate competitividade e tecnologia na capital

Fórum DF 2030 debate competitividade e tecnologia na capital

ABDI investe em Cidades Inteligentes e destaca o potencial do Distrito Federal para se tornar referência no país

"Pensar em 2030 não é longe demais. A realidade  de cidades inteligentes no Distrito Federal já começa a acontecer." A afirmação é de Igor Calvet, presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), e foi feita durante o Fórum DF 2030, na  manhã desta quinta-feira (24). Ele participou do Painel “Tendências em Inovação – Smart Cities” ao lado de Paulo Medeiro, Subsecretário de Inovação da Casa Civil do Distrito Federal, e de Jorge Barros, CEO do Instituto Smart City Business América. 

Brasília tem o maior Produto Interno Bruto (PIB) per capita do país, representando 3,8% do PIB brasileiro. O setor de serviços corresponde a 94,9% da economia da região. Esses dados, da Câmara Americana de Comércio em Brasília (Amcham Brasília), demonstram o potencial de mercado e oportunidades da capital. 

O CEO do Instituto Smart City Business América destacou que, mesmo sendo um órgão federal, a ABDI tem feito mais pelo DF do que várias instâncias locais. Segundo ele, para que uma cidade possa ser digital, precisa de tecnologias que atendam às necessidades dos cidadãos. Jorge Barros ressalta que, sem que isso ocorra, o espaço urbano pode até ser digital, mas não será inteligente. “Cidades inteligentes são cidades com tecnologias interligadas. Por exemplo, no caso de um acidente – em cima do poste tem uma câmera que manda sinal digital para quatro instâncias ao mesmo tempo: bombeiro, DETRAN, ambulância e Polícia Militar", afirmou. 

A Subsecretaria de Inovação da Casa Civil do Distrito Federal passou a existir para atender uma necessidade da região que pedia mais consistência na área tecnológica. Quem afirma é o próprio chefe do órgão, Paulo Medeiro, que falou ainda sobre a possibilidade de inovações locais contagiarem o país. "Temos que promover a mudança primeiro no DF, para capilarizar para o resto do Brasil. Mudar o jeito de pensar", propôs.

Além de falar sobre a importância de pensar no futuro agora, Igor Calvet definiu como uma missão o ato de difundir tecnologias tanto no setor produtivo brasileiro, quanto no ambiente urbano. Para o presidente da ABDI, o trabalho com as chamadas Cidades Inteligentes está entre as prioridades da Agência. Ele lembra que já existem experimentos em curso no país como o Living Lab na cooperação com o Parque Tecnológico de Itaipu (PTI) e o recente projeto em conjunto com a Secretaria de Ciência e Tecnologia, de mobilidade urbana com carros elétricos para servidores da capital federal. “ O Distrito Federal tem potencial para ser uma cidade inteligente, tecnológica. É uma cidade jovem que se conecta com o mundo em rápidas mudanças", afirmou.

Durante  o encontro, os palestrantes – representantes do Governo do Distrito Federal, do setor privado e de associações – promoveram debates sobre desenvolvimento econômico do estado, atual potencial de mercado e tendências em inovação. 

Multimídia

MetaIndústria

Mais Vistas