ONU destaca projeto da ABDI que rastreia reciclagem de plástico

ONU destaca projeto da ABDI que rastreia reciclagem de plástico

Recircula Brasil, iniciativa promovida em parceria com a Abiplast, incentiva a economia circular e reaproveitamento do material

A Organização das Nações Unidas (ONU) deu destaque à plataforma Recircula Brasil, projeto desenvolvido pela ABDI em parceria com a Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), que permite o rastreio e o registro de plásticos recicláveis e incentiva a economia circular. A menção foi feita em documento Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), lançado nesta segunda-feira, 05/06, em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente. Em capítulo sobre modelos de créditos de plástico, organização e governança, a publicação trata do protagonismo brasileiro no rastreio de material e seu reaproveitamento pela indústria. 

Denominado “Avaliando a contribuição de esquemas de crédito de plástico para reduzir a poluição e aprimorar a reciclagem”, o documento faz referências à parceria entre ABDI e Abiplast, que originou a Plataforma de Rastreabilidade Recircula Brasil, destinada à comprovação da economia circular. Operado atualmente em fase piloto, o sistema “permitirá a rastreabilidade completa do plástico reciclado no país e o monitoramento de todo o processo, desde o descarte até a reutilização em uma nova embalagem ou produto”, diz a publicação da ONU.    

Confira o documento da Pnuma

Certificados de crédito    
Desenvolvida pela startup Central de Custódia da Logística Reversa de Embalagens, a plataforma do projeto Recircula Brasil se orienta pelo decreto nº 11.413, de 2022, que institui os certificados de Crédito de Reciclagem de Logística Reversa e de Estruturação e Reciclagem de Embalagens em Geral e de Massa Futura. Propõe-se, assim, à emissão de um Certificado de Economia Circular dos plásticos, a partir do rastreio de origem dos seus resíduos e da verificação da circularidade. Do descarte ao reuso como matéria-prima em novos produtos e mercados, assegura transparência e segurança jurídica dos dados utilizados.     

Concluída a fase de testes, a plataforma deverá estar plenamente operacional no segundo semestre de 2023 e vai disponibilizar ferramentas para a gestão de outros materiais recicláveis, além do plástico. “Essa plataforma traz transparência para a economia circular, pois mapeia o processo, a cadeia”, assegura a analista de Produtividade e Inovação da ABDI, Cynthia Mattos, que gerenciou a iniciativa. “Há a expectativa de que nos próximos três meses já tenhamos a plataforma, que pode ser customizada também para outros setores, outros materiais, como vidro e metal”.    

Vanguarda brasileira    
“Esse projeto é inédito, é único no mundo. O que demonstra que o Brasil está na vanguarda da busca por soluções de resíduos plásticos”, celebra a analista de produtividade e inovação da ABDI e responsável pelo Recircula Brasil, Talita Daher. Segundo ela, a plataforma, que foi divulgada na sessão de negociação do Tratado Global contra Poluição Plástica ocorrido em Paris, na última semana, voltará a ser apresentada na próxima sessão que discutirá o tema, em novembro, no Quênia. Desta vez, já totalmente concluída. “Pretendemos ir com a delegação brasileira na próxima reunião para que ela seja apresentada e replicada”, prevê.
    
Brasil e França lideram um esforço diplomático para a adoção da resolução do Tratado. Paralelamente à melhor gestão de resíduos plásticos, a transformação digital promovida pela ABDI no processo de economia circular destacado no documento do Pnuma contribui com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU – o uso de matéria-prima reciclada em substituição ao material virgem reduz a emissão de gases de efeito estufa na atmosfera.

Multimídia

MetaIndústria

Mais Vistas