ENCONTRE AQUI

ABDI abre consulta pública para novo Edital do Agro 4.0

Desta vez, serão selecionados Ambientes de Inovação para replicar ações de adoção e difusão de tecnologias do agronegócio junto ao setor produtivo

UCM | 26/11/2021

A ABDI acaba de abrir consulta pública para o segundo edital do Agro 4.0. Em 2020, a Agência lançou o primeiro edital para seleção, premiação e acompanhamento de projetos de implantação das tecnologias 4.0 no agronegócio.

 

Para dar continuidade ao trabalho, a ABDI lança, no início de 2022, o 2º edital do Programa Agro 4.0, juntamente com o MAPA, com o objetivo de selecionar Ambientes de Inovação Agro 4.0 no Brasil, que irão replicar ações de adoção e de difusão de tecnologias 4.0 junto ao setor produtivo.

 

Os Ambientes de Inovação são espaços propícios à realização de inovações, ambientes característicos da nova economia baseada em dados e na criação e no compartilhamento do conhecimento, tais como parques tecnológicos; polos tecnológicos; incubadoras; aceleradoras; hubs de inovação; e cooperativas agroindustriais. A proposta prevê que o Ambiente de Inovação apresente, em seu projeto, ações de adoção de tecnologias 4.0 por Empresas Usuárias do Setor Produtivo (fazendas/cooperativas).

 

“Queremos formar uma rede de compartilhamento e disseminação de ações de transformação digital no campo. Esses projetos precisarão ser desenvolvidos em conjunto com parceiros, produtores, cooperativas, fornecedores e demais instituições”, explicou o presidente da ABDI, Igor Calvet.

 

A Consulta Pública, com os critérios do processo, está aberta para que o público possa contribuir com a elaboração e validação desta etapa do Programa. As sugestões deverão ser encaminhadas, por meio de formulário , até o dia 12 de dezembro. A identificação pessoal é opcional e os dados não serão divulgados individualmente.

 

Os critérios, objeto desta Consulta Pública, podem ser acessados por meio deste link.

 

Resultados extraordinários

 

O primeiro Edital do Agro 4.0 classificou 14 projetos, de 100 propostas enviadas de todas as regiões do Brasil. Os resultados foram surpreendentes e mostram como a tecnologia realmente traz mais eficiência e competitividade ao campo, além de reduzir custos.

 

Um projeto de irrigação inteligente, da Raks Tecnologia Agrícola, implantado na Agropecuária Bergoli, no município de Luís Eduardo Magalhães (BA), apresentou o potencial de redução em 20% da quantidade de irrigações e redução em 30% do custo de energia elétrica na lavoura do milho.

 

A startup @Tech está usando Visão Computacional e Inteligência Artificial para ajudar na definição do melhor momento da venda do gado de corte em várias fazendas em Goiás e Mato Grosso do Sul. Em média, o aumento no lucro dos produtores chega a 30%.

 

A Fazenda Goiabal, em Bom Jardim, no interior do Rio de Janeiro usa a robótica para revolver o café no terreiro. Essa fase do preparo do produto conta um rover (uma máquina) que substitui o trabalho braçal. O resultado foi de 10% de economia de tempo no revolvimento do café no terreiro e de 12% na melhoria da qualidade dos grãos.