ENCONTRE AQUI

Frota pública de carros elétricos compartilhados começa a rodar em Brasília

Projeto da ABDI, em parceria com PTI, conta com 16 veículos e 35 eletropostos. Investimento é de R$ 2,1 milhões

Gabriel Fialho | 07/10/2019

Brasília passa a contar com o compartilhamento de 12 carros elétricos, a partir desta segunda-feira (07), para atender os servidores públicos locais. Outros quatro veículos serão entregues até o final do ano, totalizando 16. A iniciativa da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) conta ainda com 35 eletropostos. Os pontos de recarga são capazes de abastecer dois automóveis ao mesmo tempo e ficarão disponíveis para a população em geral.

O investimento da ABDI no projeto batizado Vem DF (Veículo para Eletromobilidade) foi de R$ 2,1 milhões. O presidente da Agência, Igor Calvet, destacou que o compartilhamento de carros elétricos é uma tendência mundial. “Estamos muito satisfeitos com o lançamento desse programa, que coloca o Distrito Federal no futuro, atuando no presente. Compartilhamento, veículos autônomos e novas formas de propulsão são as tendências globais. E o Vem DF une duas delas”, apontou Calvet.

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, anunciou que vai encaminhar à Câmara Legislativa do DF (CLDF) um projeto de lei para garantir isenção do IPVA aos carros elétricos. “Sempre coloco que Brasília tem a oportunidade grande de receber novos projetos. Em conversa com o secretário de Economia, vamos oferecer a isenção de cinco anos de IPVA para quem adquirir veículos elétricos”, anunciou Ibaneis.

O projeto VEM DF é uma parceria da ABDI com o Parque Tecnológico de Itaipu (PTI), que desenvolveu o software MoVe de compartilhamento com foco para uso de governos. “O parque é um ambiente voltado para pesquisa e desenvolvimento em inovação. Entendo que o projeto é uma oportunidade para que estados e municípios possam promover esse tipo de iniciativa”, explicou o diretor-superintendente do PTI, General Eduardo Castanheira Garrido Alves.

O compartilhamento dos carros elétricos é feito pelo software MoVe, que permite reservar os veículos disponíveis e acompanhar sua localização. O aplicativo rastreia o automóvel, monitora a velocidade, a carga de bateria, as rotas percorridas, além de outras informações. Os carros serão desbloqueados com cartões dos servidores cadastrados no sistema. “O nosso interesse é no desenvolvimento e fomento de todo o sistema industrial ao redor da eletromobilidade. Os carros elétricos estão em um avanço contínuo e o que propomos via ABDI é desenvolver essa cadeia produtiva. A bateria é um gargalo tecnológico e quando lançamos uma iniciativa como essa, incentivamos que empresas desenvolvam essa tecnologia”, afirmou Igor Calvet.

O programa de eletromobilidade é uma ação do projeto Cidades Inteligentes coordenado pela ABDI. O VEM DF é a tecnologia mais madura testada e demonstrada no "Living Lab de Cidades Inteligentes", um ambiente de testes e demonstrações que funciona em Foz do Iguaçu, no Paraná. O Living Lab resultou de um convênio feito entre ABDI e PTI, em 2018.

VEM DF

Em maio deste ano, um acordo de cooperação assinado entre a ABDI, o PTI e o Governo do Distrito Federal (GDF), por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI), permitiu que o programa começasse por Brasília, como o primeiro projeto de compartilhamento de veículos elétricos voltado para o transporte de servidores públicos.

O secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do DF afirma que o projeto faz parte da iniciativa do GDF de criar uma cidade inteligente. "Esse projeto é a custo zero para o governo do DF, bancado pela ABDI, em parceria com o PTI, os veículos e eletropostos são cedidos em comodato. Se no decorrer de dois anos, doias anos e meio, substituirmos toda a frota, teremos uma economia de oito milhões de reais por ano, além disso, estamos falando em preservar o meio ambiente", disse Gilvan Máximo.

O VEM DF vai oferecer 16 carros elétricos do modelo Twizy, da marca Renault. Para garantir o carregamento dos veículos, serão instalados por todo o Distrito Federal 35 eletropostos (pontos de recarga) fabricados pela WEG. Os eletropostos serão gratuitos e de uso coletivo, ou seja, poderão ser  utilizados por qualquer carro elétrico, de qualquer montadora. A iniciativa visa a incentivar o uso desse tipo de veículo pela população em geral.  

Os veículos serão cedidos ao governo distrital em forma de comodato, com cláusulas sobre operação, manutenção, taxas e seguros. Brasília tem vantagens para o uso de carros elétricos: o relevo predominantemente plano, que reduz o consumo de bateria, a temperatura favorável e a tensão de 220 volts, dispensando adaptações para a instalação dos eletropostos.

Em princípio, o VEM DF terá uma rota restrita à Esplanada dos Ministérios e sedes dos órgãos da administração do DF. Os veículos elétricos têm autonomia de até 100 Km e atingem a velocidade de até 80 Km/h.