ENCONTRE AQUI

Ponte da Amizade ganha sistema de monitoramento inteligente

Projeto entre ABDI, Receita Federal e INDT vai melhorar o controle da fronteira entre o Brasil e o Paraguai com o uso de tecnologias de reconhecimento facial e de placas de automóveis, Inteligência Artificial, IoT e Big Data

CCOM | 16/12/2019

A fronteira mais movimentada do Brasil, por onde passam diariamente cerca de cem mil pessoas e 40 mil carros, ganhou um importante reforço no controle aduaneiro. A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a Alfândega da Receita Federal e o Instituto de Desenvolvimento Tecnológico (INDT) iniciaram as operações do “Fronteira Tech” na Ponte Internacional da Amizade, que liga Foz do Iguaçu (PR) à Ciudad del Este, no Paraguai.

O lançamento do projeto, nesta segunda-feira (16), contou com a presença do ministro da Justiça, Sergio Moro, do governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Júnior, do presidente da ABDI, Igor Calvet, do subsecretário geral da Receita Federal, Décio Rui, do diretor superintendente do Parque Tecnológico Itaipu (PTI), general Eduardo Castanheira Garrido Alves, do diretor geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, além de outras autoridades.

A inciativa vai promover o uso de tecnologias digitais com foco na segurança pública e que foram testadas e validadas no Laboratório Vivo de Cidades Inteligentes da ABDI e do PTI, como destaca Igor Calvet. “Somos uma Agência vinculada ao Ministério da Economia e nossa gênese é a inovação. Esse é um projeto que traz tecnologia e bem estar para a população. Estamos em uma das fronteiras mais movimentadas do mundo e seremos braços importantes, se o governo federal entender, para executar projetos como esse, para levar tecnologia e melhoria de vida aos cidadãos e às nossas cidades”.

O ministro da Justiça, Sergio Moro, inaugurou pela manhã o Centro Integrado de Operações de Fronteira (Ciof), local de 600 m² no Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e que recebeu investimentos de R$ 2,9 milhões de Itaipu Binacional. Ele ressaltou a importância do uso das informações geradas pelas tecnologias instaladas na Ponte da Amizade para o trabalho no Ciof.

“Esse projeto da ABDI e da Receita Federal representa outro aspecto importante de controle das fronteiras. Enquanto pela manhã falávamos da integração, aqui é a tecnologia a serviço do controle das fronteiras”, afirmou Moro. “Uma experiência que no futuro espero que possamos estender a outras fronteiras desse imenso país. Nós temos interesse nas informações processadas através dessas tecnologias que estão sendo instaladas e, por isso, faço o registro para reconhecer a importância delas para a segurança do país”, concluiu o ministro.

Na entrada e saída da Aduana e ao longo da Ponte da Amizade haverá 33 luminárias inteligentes, com duas câmeras em cada uma delas, totalizando 66 equipamentos com capacidade de fazer reconhecimento facial e identificar placas de automóveis. Outras quatro câmeras fixas com as mesmas tecnologias ficarão em pontos estratégicos. Além disso, serão 15 luminárias de LED com telegestão e GPS e 11 sensores de tiro integrando o sistema.

O uso das câmeras de alta definição para monitoramento da fronteira, gerando informações em tempo real e controladas por um centro de operações vão trazer grandes impactos no serviço aduaneiro, como aponta o auditor fiscal Paulo Sérgio Cordeiro Bini, delegado da Alfândega da Receita Federal de Foz do Iguaçu. “Sei a dificuldade de se fazer no dia a dia o efetivo combate ao contrabando e descaminho. Somente este ano apreendemos R$ 3 bilhões em mercadorias, se formos ver o preço real, são R$ 6 bilhões e isso é apenas uma parte”, analisou Bini.

“Recebemos esse investimento do Fronteira Tech, que vai ajudar muito no combate ao contrabando e descaminho. É algo que também vai colaborar com o Ciof. Acompanho o trabalho da Receita Federal e da Polícia Federal na fronteira e a tecnologia veio colaborar com os esforços diários dos nossos agentes”, elogiou Ratinho Jr, governador do Paraná.

Nos equipamentos instalados na fronteira há um software de Inteligência Artificial que identifica padrões e gera dados que ajudarão no combate a crimes como tráfico de drogas e armas, contrabando e descaminho. Se um carro for roubado e passar pelo local, o sistema é capaz de identificar rapidamente a placa do veículo e emitir um alerta. O mesmo ocorre com a identificação facial para procurados da justiça, por exemplo.

A expectativa é a de que o projeto possa ser replicado em outras aduanas brasileiras de fronteira, em postos da Polícia Rodoviária Federal, em municípios com elevados índices de criminalidade, ou mesmo na segurança de empresas e parques industriais. O investimento na aquisição, instalação e operação dos equipamentos e softwares na Ponte da Amizade é de R$ 5 milhões.

Todo o sistema, que inclui a rede de iluminação pública inteligente, com câmeras, wi-fi, sensor de tiro, sistema de identificação facial e reconhecimento de padrões, que está sendo instalado na Aduana e na Ponte da Amizade, foi testado no Living Lab, o Laboratório Vivo inaugurado em janeiro de 2019 em parceria entre a ABDI e o Parque Tecnológico de Itaipu (PTI). O Living Lab foi montado para demonstrar e avaliar soluções para Cidades Inteligentes.