Prêmio ABDI Anatel de Redes Privativas celebra vencedores

Prêmio ABDI Anatel de Redes Privativas celebra vencedores

Iniciativas mais bem avaliadas em quatro categorias receberam troféus em cerimônia nesta sexta-feira (01/09)

A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) celebraram, na manhã desta sexta-feira (01/09), os projetos vencedores do Prêmio ABDI Anatel de Redes Privativas, concurso que selecionou os melhores usos de redes privativas sem fio no Brasil nas categorias Agro; Indústria; Utilities/Mineração, Óleo e Gás; e Outros Setores. Projetos que se destacaram no uso de tecnologias 5G também foram homenageados na cerimônia de entrega de troféus, ocorrida na sede da Anatel, em Brasília.

O presidente da ABDI, Igor Calvet, comemorou a premiação rememorando os entendimentos da Agência com atores do setor para promover, por meio de redes privativas, a competitividade da indústria brasileira. “Uma das coisas que nos impedia de avançar cada vez mais na Indústria 4.0 era a tecnologia habilitadora, a conexão máquina/máquina, homem/máquina, máquina/infraestrutura. Tudo dependia de uma tecnologia habilitadora”, recordou. “Quando surgiu o 5G, vimos que essa poderia ser a tecnologia habilitadora. Sem ela, uma parte do nosso esforço de fomentar a indústria 4.0 no país seria perdido”, concluiu, em claro incentivo ao avanço das redes privativas nessa direção e em reconhecimento à importante aproximação da ABDI com a Anatel.     

A perspectiva de novos incentivos ao uso das redes privativas, como o Prêmio ABDI Anatel, foi valorizada pelo presidente da agência reguladora de telecom, Carlos Baigorri. “Espero que essa seja só a primeira versão desse prêmio, e que, nas próximas versões, a gente tenha mais candidatos”, disse. “A ideia é que isso seja um processo contínuo para divulgar para toda indústria brasileira, para o agro, para todas as atividades empresariais as oportunidades e as experiências concretas que se têm na utilização de 5G e de 4G, em redes privativas, para se aumentar a competitividade.”

O gerente da Unidade de Novos Negócios da ABDI, Tiago Faierstein, também destacou a importância das iniciativas vencedoras para a massificação do uso das redes pelo setor produtivo nacional. “Os projetos aqui premiados devem servir de exemplo para toda a indústria nacional. Não só pelo funcionamento e benefício da tecnologia em si, mas também pelo modelo de negócio criado e como ele pode gerar economicidade e ganho de produtividade para a empresa”, explicou. “Quando nós conseguirmos mostrar isso para o empresariado brasileiro, as redes privativas, especialmente as redes 5G, vão ser amplamente difundidas no Brasil”, concluiu, lembrando de projetos da Agência nesse sentido em andamento junto à Petrobras e ao Parque Tecnológico Itaipu.     

Impacto nos negócios   

As iniciativas vencedoras, com operações principais no Paraná, Mato Grosso, Bahia, Pará, Minas Gerais, São Paulo, Paraná e Santa Catarina, foram avaliadas de acordo com critérios definidos nas Diretrizes do Prêmio por uma comissão formada por servidores da Anatel e representantes da ABDI. A parceria entre as duas agências coletou informações dos serviços utilizados pelos projetos para mensurar o impacto que as redes de telecomunicação voltadas a soluções específicas têm em seus negócios do setor produtivo nacional.

Ao avaliar os casos de usos do espectro em redes privativas, o Prêmio ABDI Anatel teve por objetivo estimular esse tipo de investimento e divulgar os resultados alcançados por eles com o uso de redes como 5G, 4G e WiFi 6. Para difundir a importância das redes de Quinta Geração, acrescentou premiações de destaque a duas iniciativas de Inovação no uso da Tecnologia 5G e em Pesquisa e Desenvolvimento com 5G.  

Os vencedores do Prêmio – que receberam o Troféu de Conectividade em Redes Privativas – e das Premiaçõesde Destaque, são:

I. Rede Privativa – Agro

Projeto – Campo Conectado (PUC-Rio): Rede Privativa instalada em Mato Grosso, para sistema de Agro 4.0, na faixa de 700 MHz com tecnologia 4G. Parceria entre PUC-Rio, Nokia, Datora e Arqia.

Projeto – SemeAR-0 (CPQD): Rede Privativa instalada em São Paulo, para sistema de Agro 4.0, nas faixas de 250 MHz com tecnologia 4G, além de Wi-Fi e LoraWAN. Projeto financiado pelo Funtell via Finep, parceria entre CPQD, Tropico Sistemas e Telecomunicações, Cambium Networks e Khomp.

Projeto – Campo Conectado (Sol Internet of People): Rede Privativa instalada em Mato Grosso, para sistema de Agro 4.0, na faixa de 700 MHz com tecnologia 4G. Parceria entre a Startups, Huawei e Claro S.A.    

II. Rede Privativa – Indústria

Projeto – Centro Logístico Inteligente (Huawei): Rede Privativa instalada em Sorocaba/SP, para sistema de Indústria 4.0, na faixa de 3,5 GHz, com tecnologia 5G. Parceria entre Huawei e Telefônica.

Projeto – Siderurgia do Futuro (Gerdau): Rede Privativa instalada em Jundiaí/SP, para sistema de Indústria 4.0, nas faixas de 1.800 MHz e 3,5 GHz, com tecnologias CAT-M, 4G, 5G. Parceria entre Gerdau, Embratel, Huawei e Claro S.A.

Projeto – OpenLabWEG-V2COM (WEG S.A.): Rede Privativa instalada em Jaraguá do Sul/SC, para sistema de Indústria 4.0, na faixa de 3,5 GHz, com tecnologia 5G. Parceria entre WEG, Embratel, Ericsson e Claro S.A. 

III. Rede Privativa – Utilities / Mineração / Óleo e Gás

Projeto – Conectividade Industrial (Petrobras): Rede Privativa instalada em diferentes localidades do Brasil, para ambientes onshore e offshore, nas faixas de 700 MHz e 1.800 MHz, com tecnologia 4G e previsão para evolução para 5G. Parceria entre Petrobras, Huawei, Nokia e Telefônica.

Projeto – Programa de Conectividade (Vale): Rede Privativa instalada em municípios do Pará e de Minas Gerais para ambiente de mineração, nas faixas de 700 MHz, 2.1GHz, 2.3GHz, com tecnologias CAT-M e 4G, que levou também conectividade à comunidade local. Parceria entre Vale, Nokia e Telefônica.

Projeto – Energia do Futuro (NeoEnegria Elektro): Rede Privativa instalada em diferentes municípios de São Paulo, para implementação de sistemas de medição inteligente, automação e suporte à operação para distribuição de energia elétrica, na faixa de 700 MHz e testes em 400 MHz, com tecnologia 4G. Parceria entre Neoenergia, Nokia, General Electric e Telefônica.

IV. Rede Privativa – Smart City / Educação / Saúde / Transporte

Projeto – OpenCare 5G (Hospital das Clínicas da USP/SP): Rede Privativa do Hospital das Clínicas /SP para sistema de telemedicina voltado ao atendimento de população desassistida, especialmente comunidades indígenas. Sistema OpenRAN na faixa de 3.700 – 3.800 MHz, com tecnologia 5G. Parceria entre Hospital das Clínicas, Inova HC, Deloitte, Itaú, Siemens Healthineers, NEC, AirSpan, TIP e Escola Politécnica da USP.

Projeto – Vídeo Polícia Expansão (SSP-BA): Rede Privativa instalada em Salvador e Região Metropolitana (BA) para sistema de auxílio às forças de segurança pública, na faixa de 700 MHz, com tecnologia 4G. Parceria entre a SSP/BA, Huawei e Oi Soluções.

Projeto – Solução Inovadora (Prefeitura de Pato Branco/PR): Rede Privativa instalada em Pato Branco/PR para sistema de Smart City. Provê câmeras de reconhecimento facial para segurança pública e Wi-Fi público nas faixas de 3.700 – 3.800 MHz, com tecnologia 5G. Parceria entre a prefeitura de Pato Branco, Juganu e Claro S.A.      

Destaque de Inovação no uso da Tecnologia 5G  

Projeto – 5G Race 360 (Stock Car): Rede Privativa instalada em autódromos para implantação de experiência imersiva que proporciona visão de 360° de dentro do carro para os espectadores, na faixa de 3.700 – 3.800 MHz, com tecnologia 5G. Parceria entre Stock Car, Qualcomm, Baicells e Audacetech.         

Destaque de Pesquisa e Desenvolvimento em 5G

Projeto – Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação com Tecnologia 5G: Rede Privativa no Parque Tecnológico Itaipu, emFoz do Iguaçu/PR, para oferecer infraestrutura de telecomunicações para um laboratório de desenvolvimento deaplicações, produtos e devices em geral para soluções de alto impacto na indústria 4.0, nas faixas de 3.700 – 3.800 MHz,com tecnologia 5G. Parceria entre Fundação Parque Tecnológico Itaipu e a Nokia.     

Soluções específicas

As redes privativas podem ser definidas como redes de telecomunicação para implementação de soluções específicas, associadas ao serviço limitado privado, para operação em faixas de frequências cujas condições de uso derivam de padrões internacionais que permitem aplicações ponto-multiponto e ponto-área diversificadas. Essas redes são utilizadas por setores como o industrial, de utilities, agropecuário, de negócios, óleo e gás e em outras aplicações privadas cujos requisitos podem divergir daqueles ofertados pelas redes de telecomunicações comerciais.    

Para saber mais sobre as redes privativas, visite este site.

Visite nosso Flickr para conferir a cobertura fotográfica do evento.

Multimídia

MetaIndústria

Mais Vistas