Lula assina decreto da nova Estratégia BIM BR

Lula assina decreto da nova Estratégia BIM BR

Ato ocorreu durante reunião do CNDI que aprovou a nova política industrial, no Palácio do Planalto

Foto: Lula Lopes/ABDI

A manhã desta segunda-feira (22/01) foi de grandes marcos para a indústria brasileira. Além da aprovação da nova política industrial pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial (CNDI), em reunião realizada no Palácio do Planalto, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, também assinou o decreto da Estratégia Nacional de Disseminação do Building Information Modelling (BIM) no Brasil.

A Estratégia BIM BR visa promover um ambiente adequado ao investimento em BIM e à sua difusão no país. A Modelagem da Informação da Construção (em tradução para o português) é um conceito internacional para indicar um conjunto de processos e tecnologias que permitem aprimorar todas as etapas de uma edificação. O BIM simula a construção, com todos os elementos envolvidos, antes mesmo do início das obras, aumentando a confiabilidade nas estimativas de preços, no cumprimento de prazos e na integração dos diversos profissionais. Em última instância, permite uma construção civil mais inteligente, produtiva e econômica.

A partir da nova Estratégia BIM BR, o Governo Federal retoma e atualiza ações e diretrizes da política lançada em 2018. Entre os principais objetivos estão a difusão do BIM e de seus benefícios, o apoio à estruturação do setor público federal, estadual e municipal para a adoção do BIM e o estímulo à capacitação e formação profissional na tecnologia.

“A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial está empenhada na missão de estimular a transformação digital da construção, por meio da disseminação do BIM. Com isso o setor dará um importante salto de produtividade. Há estimativas de que, quando estiver plenamente implementado, o BIM aumentará a produtividade das empresas da construção em 10%, até 2028”, destaca a gerente de Transformação Digital da ABDI, Adryelle Pedrosa.

O decreto determina ainda que a Estratégia BIM BR terá as missões de criar condições favoráveis para o investimento público e privado em BIM, e de propor atos normativos que estabeleçam parâmetros para as compras e as contratações públicas com o uso da tecnologia. Deverá também orientar o desenvolvimento e incentivar o uso de normas e especificações técnicas, estimular a aplicação de novas tecnologias relacionadas ao BIM e estabelecer diretrizes para o aperfeiçoamento da Plataforma e da Biblioteca Nacional BIM.

Além de ter participado das discussões para a retomada da Estratégia BIM BR, a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) é quem administra a Plataforma BIM BR, que hospeda a única biblioteca BIM desenvolvida integralmente com recursos públicos no Brasil.

O decreto assinado pelo presidente Lula nesta segunda-feira também institui o Comitê Gestor da Estratégia BIM BR, composto por representantes da Casa Civil da Presidência da República e dos ministérios das Cidades, da Ciência, Tecnologia e Inovação, da Defesa, da Educação, da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos, de Portos e Aeroportos, e dos Transportes. O Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Industrial, Inovação, Comércio e Serviços, presidirá o Comitê Gestor.

“O decreto traz novos objetivos para a Estratégia BIM BR e amplia sua governança. Agora com a participação dos ministérios da Educação e da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos, passam a ser mais estruturadas as ações como as voltadas a estimular a formação profissional em BIM e à proposição de atos normativos que estabeleçam parâmetros para as compras e as contratações públicas com uso do BIM”, explica Leonardo Santana, analista de Produtividade e Inovação da ABDI. “Estados e municípios também serão contemplados com ações direcionadas a apoiar as administrações públicas para a adoção do BIM”, completa.

Histórico

A Estratégia BIM BR foi lançada pelo Governo Federal em 17 de maio de 2018, por meio do Decreto nº 9.377, com o objetivo principal de promover um ambiente adequado ao investimento dessa metodologia e sua difusão no país. Em 2019, devido à reforma ministerial do período, foi lançado o Decreto nº 9.983, ajustando a governança do Comitê Gestor da política e instituindo um roadmap, mas mantendo os objetivos e as metas.

O desenvolvimento da Estratégia BIM BR considerou um marco temporal de 10 anos para a adoção em fases de BIM por parte da administração pública. A primeira fase teve início em janeiro de 2021, quando o Decreto nº 10.306 tornou obrigatório o uso de BIM na etapa de projetos de obras públicas. A segunda fase, a partir de 2024, incluirá a exigência de BIM nas etapas de projetos e obras. A terceira e última fase ocorrerá em 2028 e contemplará o uso de BIM em todas as etapas: projetos, obras e pós-obras.

Como resultado das ações da ABDI alinhadas com as diretrizes da Estratégia BIM BR, o curso de capacitação da Agência, Democratizando BIM, atendeu mais de 12 mil alunos. Além disso, a Plataforma BIM BR fecha o ano de 2023 com mais de 6 mil novos usuários cadastrados e cerca de 57 mil acessos ao portal.

Multimídia

MetaIndústria

Mais Vistas