Programa de startup brasileira ajuda Embraer no desenvolvimento de aviões

Programa de startup brasileira ajuda Embraer no desenvolvimento de aviões

Conexão Startup Indústria da ABDI abre mercado para Virtual Avionics

Uma startup com poucos anos de vida, que reúne diversos jovens com diferentes habilidades, e uma empresa brasileira que é uma das mais importantes na aviação mundial se encontraram pelo Programa Nacional Conexão Startup Indústria da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). O resultado da parceria entre a Virtual Avionics e a Embraer está exposto na Inova Arena da Game XP: um simulador em realidade virtual para ligar o avião e fazer os primeiros procedimentos para iniciar o voo.

O maior desafio foi fazer com que ao colocar os óculos e mover as mãos, o usuário da tecnologia tivesse a sensação mais próxima possível da realidade, como explicou o responsável por desenvolver o software, Gabriel De Cicco. “Pensar esta interação entre os movimentos das mãos e o controle remoto, para que a pessoa sinta como são os comandos, o peso dos botões, alavancas e, assim criar uma memória muscular para os pilotos, é a parte mais complicada”, explica o profissional da Virtual Avionics, que recebeu treinamentos na Embraer.

O resultado surpreendeu os irmãos Luisa Gomes, 12 anos, e Miguel, 10 anos (foto ao lado). “Quando eu olhei para trás tinha outra cadeira e uma folha de papel. Dava para ver embaixo direitinho, não achei que seria tão real”, conta Luisa. “Bem maneiro, parece que está no avião”, completa Miguel.

O passo seguinte da parceria da Virtual Avionics será criar uma luva com sensores, mais parecida com os movimentos humanos que os controles remotos, além de desenvolver o programa para outros tipos de aeronaves da Embraer. “Foi muito importante esta parceria com a Embraer, uma empresa próxima e de ponta, para recebermos este know how deles”, afirma De Cicco. “A confiança foi conquistada com o tempo e conforme mais estreitamos a relação, mais informações a empresa nos passa”, prossegue.

Plano de voo

A startup também desenvolveu um simulador de voo com os comandos do painel do avião, desde a ativação do trem de pouso, reverso e outros comandos. A missão de quem experimenta o equipamento na Game XP é pousar uma aeronave no aeroporto do Galeão, uma interface do programa da Virtual Avionics com um software disponível no mercado.

“Nunca pilotei, mas percebi que o avião se mexe bem, o controle é bem diferente dos jogos, é mais interessante”, comenta o estudante de biologia Lucas de Farias, que experimentou o simulador.

Além da segurança para os profissionais de aviação, a vantagem para a empresa ao usar simuladores é a redução de custos. “Aqui é uma estação de treino para pilotos, com o computador de bordo e os comandos da cabine. A ideia é agilizar o treinamento. Têm também os entusiastas que compram para praticar. A gente tem para vários modelos de avião e, além de menor, o equipamento é mais barato. Só para ligar o avião o custo é alto”, detalha Vitor Monteiro, analista de marketing da Virtual Avionics.

A startup foi fundada por um ex-piloto que queria um modelo de pilotagem automática, mas os equipamentos importados eram caros. Ele decidiu fazer um personalizado, mas para que compensasse os custos, a quantidade mínima era de dez simuladores. Ele resolveu colocar o excedente à venda e tudo foi comprado rapidamente. Ele encomendou mais 40 e, novamente, a demanda foi grande. Então ele percebeu que havia uma oportunidade de negócio e montou a empresa.

Conexão

O Programa Nacional Conexão Startup Indústria da ABDI selecionou dez indústrias e 27 startups, de um total de quase 400 empresas inscritas. Em três anos a iniciativa vai investir R$ 50 milhões, sempre com a abertura de editais. A próxima seleção pública será no fim deste ano.

Multimídia

MetaIndústria

Mais Vistas