Recircula Brasil é destaque na COP 28 em painel sobre circularidade e inovação

Debate abordou o papel da economia circular no processo de transformação sustentável da indústria

A plataforma Recircula Brasil foi destaque no painel “Desafios e Oportunidades na Promoção de uma Circularidade e Inovação na Indústria”, na última quarta-feira (06/12), no Pavilhão Brasil da Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP 28), em Dubai. O projeto é desenvolvido pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) em parceria com a Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast).

O debate tratou sobre o papel da economia circular no processo de transformação sustentável da indústria e abordou a importância de políticas públicas e parcerias público-privadas para ampliar o conceito de economia circular.

A diretora de Economia Sustentável da ABDI, Perpétua Almeida, representou a agência no debate promovido pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC). O painel contou ainda com a participação do secretário de Meio Ambiente Urbano e Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima (MMA), Adalberto Maluf, da secretária de Desenvolvimento Sustentável do Paraná, Ivonete Coelho, e do diretor do Instituto Amazônia +21, Marcelo Thomé.

Em sua participação no painel, a diretora Perpétua apresentou a plataforma Recircula Brasil, que permite o rastreio e o registro de plásticos recicláveis desde a origem do resíduo até o produto final. Recentemente, a Organização das Nações Unidas (ONU) deu destaque à plataforma no Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma).

“O Recircula Brasil coloca nosso país na vanguarda da circularidade. Produzir reaproveitando o que se tem, sem precisar usar novos recursos naturais. Evitamos esgotar os recursos da natureza, reduzimos a poluição do meio ambiente, evitamos ainda que as empresas falsifiquem resultados ambientais, o chamado greenwashing. Além disso, a circularidade do plástico passa a ser real e com transparência de dados”, explicou.

A diretora destacou ainda que a adoção da plataforma como política pública possibilitaria o cumprimento do Decreto Federal nº 11.043/2022, conhecido como Decreto do Plástico, que garante, por meio do sistema de logística reversa, que as embalagens plásticas retornem para o ciclo produtivo, reduzindo o descarte desse material no meio ambiente.

“Somente a nossa plataforma mostrou-se capaz de comprovar as operações de todos os atores da cadeia produtiva da circularidade, com informações de origem e comprovação do uso de conteúdo reciclado na fabricação de novos produtos, fechando assim o rastreio e o registro do ciclo da reciclagem”, afirmou.

Sustentabilidade e inclusão

A ABDI também participou do painel “Transformação Ecológica: Desenvolvimento Inclusivo e sustentável para lidar com a crise climática”, promovido pelo Ministério da Fazenda no último dia 4, no Pavilhão do Brasil na COP 28.

Nesse painel, a diretora da ABDI apresentou a contribuição direta da agência para o desenvolvimento inclusivo e sustentável. Lembrou o projeto que trata da bioindústria nos biomas brasileiros, como o da Amazônia, e os estudos da ABDI para fornecimento de eletricidade nos pontos mais remotos da floresta.

Cidade futurista

Ainda em Dubai, a delegação da ABDI visitou Masdar, a cidade mais tecnológica e sustentável dos Emirados Árabes. O objetivo foi conhecer novas tecnologias e projetos que possam contribuir com a construção de uma indústria mais sustentável no Brasil.

A cidade futurista no meio do deserto tem a meta de se tornar neutra de CO2 até 2025, quando deve estar 100% concluída. Estão envolvidos em sua construção entidades como Massachusetts Institute of Technology, General Electric, BP, Royal Dutch Shell, Mitsubishi, Rolls-Royce, Total S.A., Mitsui, Fiat e Conergy.

Masdar foi pensada para utilizar apenas energias renováveis. Quase não produz resíduos e o pouco que produz é todo reciclado. O transporte público é exclusivamente movido a eletricidade. Mesmo no meio do deserto, tem um sistema de resfriamento no cimento utilizado, com captação de vento natural e aproveitamento da luz.

“Imagine viver em um lugar completamente tecnológico e, o melhor de tudo, totalmente ligado à sustentabilidade? A cidade de Masdar oferece esse conceito e muito mais”, disse o gerente da Unidade ASG da ABDI, Rogério Araújo.

Multimídia

MetaIndústria