Casos de uso do 5G são apresentados a parlamentares da Comissão de Indústria da Câmara

Casos de uso do 5G são apresentados a parlamentares da Comissão de Indústria da Câmara

Deputado Federal Heitor Schuch recebe detalhes de projetos da ABDI ligados à tecnologia 5G

O deputado federal Heitor Schuch (PSB-RS), presidente da Comissão de Indústria, Comércio e Serviços da Câmara, esteve, na manhã desta quinta-feira (21), na Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), para conhecer alguns casos de uso da tecnologia 5G pelo setor produtivo brasileiro.

O projeto Conecta 5G e o cão-robô Spot, uma parceria da ABDI com o Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e a Petrobras para impulsionar as redes 5G industriais no país foram apresentados pelo gerente de Novos Negócios da Agência, Tiago Faierstein.

Tiago iniciou a apresentação contando que a ABDI está envolvida na questão do 5G muito antes do leilão da Anatel em 2021, em diversas discussões sobre a real utilidade da tecnologia. E, desde então, tem atuado em duas frentes: com o projeto Conecta 5G e com casos de uso dessa tecnologia.

Faierstein chamou a atenção para a necessidade de um número muito maior de antenas para viabilizar as redes 5G no país. “O 5G precisa de uma altíssima largura de banda, baixa latência e um alto adensamento do usuário. Para isso, é preciso trabalhar com as maiores frequências e ter um número muito maior de antenas, cerca de dez vezes mais que no 4G”.

Para ajudar a resolver a situação, a ABDI, em parceria com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e o Ministério das Comunicações, lançou, em 2022, o projeto Conecta 5G, que prevê a instalação de luminárias públicas inteligentes com antenas 5G integradas.

“Colocar antenas dentro das luminárias resolve a questão da falta de locais nas cidades, independentemente da lei de antenas, que regula o uso de espaços privados para sua colocação. Isso porque no Brasil o poste é da concessionária de energia, um espaço privado, mas a luminária é do município, é pública”, afirmou o gerente.

A proposta da ABDI, para resolver a questão de investimentos nas luminárias inteligentes, é usar a Contribuição de Iluminação Pública (CIP), que é superavitária em mais de 70% dos municípios brasileiros. Para isso, a Agência elaborou um paper que ensina aos municípios como utilizar a iluminação pública como um hub de serviço, por meio dos recursos da CIP. No documento, os arranjos jurídicos necessários, investimentos e demais informações úteis para aplicação do projeto.

Cão-Robô

A segunda frente de atuação da ABDI em relação ao 5G, apontou Faierstein, são os casos de uso dessa tecnologia. A Agência, em parceria com o Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e com a Petrobras, adquiriu três cães-robô da Boston Dynamics para impulsionar as redes 5G industriais no país.

As duas primeiras unidades adquiridas pela parceria serão utilizadas em áreas críticas e de difícil acesso dentro da estrutura colossal da hidroelétrica Binacional de Itaipu. Por conta da rede de 5G industrial dedicada aos cães cibernéticos, técnicos receberão dados em tempo real. Cada robô tem quatro pernas plenamente articuladas, inteligência artificial, câmeras, sensores térmicos, microfones, caixas de som e sensores.

O terceiro cão-robô está na Petrobras, onde ele irá atuar com aplicações de inspeção. “Ali, o uso do robô irá reduzir em 70% os custos com a aplicação de inspeção diária realizada na empresa, e o retorno do investimento desse robô é de apenas seis meses”, concluiu.

O deputado Schuch parabenizou as iniciativas da Agência e afirmou que o uso da tecnologia na indústria é premente. “Mais do que plantar a soja e vender o grão, precisamos transformar a matéria-prima em óleo, farelo e farinha, aumentando a produtividade dessa indústria. E para melhorar a condição econômico-social do país, é preciso investir em tecnologia e inovação”.

Ele relembrou a chegada da máquina de debulhar milho ao campo, há algumas décadas, e como os agricultores ficaram chocados, e aliviados, com a tecnologia. “Não era mais preciso debulhar com a mão. E depois ainda veio a trilhadeira, que retirava a palha do milho também. Foi extraordinário”. Para o deputado, o país tem a tecnologia, tem a inteligência, tem mão de obra capacitada e precisa usar tudo isso para, de fato, promover a neoindustrialização.

Também participaram do encontro a presidente interina da ABDI, Cecília Vergara, o diretor de Desenvolvimento Produtivo e Tecnológico da Agência, Carlos Geraldo, e representantes de parlamentares.

Fotos: Lula Lopes

Multimídia

MetaIndústria

Mais Vistas